segunda-feira, 17 de outubro de 2011

São Paulo dá vexame em Goiânia e Adílson dá adeus


  Há quem diga que paciência tem limite. E o estopim tricolor diante do trabalho de Adílson Batista chegou ao seu ápice neste domingo. Com uma atuação ridícula no 2º tempo, o Tricolor foi humilhado pelo fraquíssimo Atlético-GO, no Serra Dourada, com vexatórios 3x0, e viu Adílson Batista, enfim, fazer sua última partida à frente do time, exatamente contra o mesmo adversário de sua estreia (quando também não conseguiu vencer).
  O primeiro tempo pôde até ser considerado primoroso, pelos atuais e lastimáveis padrões são-paulinos. A melhor chance foi numa cobrança de falta de Rogério Ceni, aos 21 minutos. Quatro minutos depois, começou a tragédia tricolor no Cerrado. Após cruzamento na área, Gílson mergulhou sem problemas, diante da já costumeira marcação frouxa de Xandão, e abriu o placar para os goianos: 1x0 Atlético. O São Paulo ainda teve duas oportunidades de empatar antes do intervalo. Aos 32, ficou claro que, quando a fase não é boa, nem a sorte ajuda. Após cobrança de falta, Rhodolfo desvia de cabeça e acerta o travessão. No bate-rebate seguinte, Xandão e Luís Fabiano também acertam a trave, antes de a bola morrer nas mãos do goleiro Márcio. Aos 44, Dagoberto puxa contra-ataque e lança Luís Fabiano, que, dentro da área, se atrapalha com a chegada da marcação e pega muito mal na bola, desperdiçando grande oportunidade.
Gílson comemora o início do atropelamento tricolor. (Dragões da Real)
  No 2º tempo, não se viu mais o São Paulo em campo. Tanto que, aos quinze, o Atlético chegou ao segundo gol. Anselmo fez boa jogada com Rafael Cruz, deu um belo drible no estático Wellington e fuzilou, para grande defesa de Rogério Ceni. No rebote, porém a bola nos pés de Felipe que, sozinho na grande área, só bateu forte para marcar: 2x0. Menos de dez minutos depois, Felipe tenta chutar, mas a bola bate no braço de Xandão, e o árbitro marca pênalti. Para sorte do São Paulo, o goleiro-artilheiro do Atlético, Marcio, estava sentindo lesão na coxa, e preferiu não ir para a cobrança, mesmo declarando ter como sonho marcar um gol no seu "mestre" Rogério Ceni que, por sinal, nunca sofreu um gol de outro goleiro. Sendo assim, Anselmo foi para a bola e bateu com perfeição: 3x0, para fechar de vez o caixão tricolor em Goiânia.
  Ao final, terminou a era Adílson Batista no São Paulo, e com desempenho pífio. Quando assumiu, o Tricolor tinha sete vitórias em dez jogos. Com ele, foram seis vitórias em vinte partidas. Sim, o dobro de jogos, e conquistou menos vitórias. Pegou o time em 3º lugar, na cola dos líderes, e o deixa na 6ª posição, praticamente fora da briga pelo título e até com a vaga na Libertadores, dada como certa há até pouco tempo, bastante ameaçada.
  Agora, é difícil dizer qual o futuro do Tricolor. Claramente, o time perdeu tempo demais com Adílson, e talvez o ano já esteja ate mesmo perdido. Por ora, Mílton Cruz comandará a equipe contra o Libertad, no Morumbi, na quarta-feira, com a missão de tornar a Copa Sul-Americana, talvez, na salvação da temporada são-paulina.

Ficha técnica:
Atlético-GO 3x0 São Paulo
Estádio: Serra Dourada (Goiânia)
Gols: Gílson, aos 25'/1ºT; Felipe, aos 15' e Anselmo, aos 24'/2ºT
Cartão Amarelo: Vitor Junio e Pituca (ATL); Xandão e Luís Fabiano (SP)

Atlético-GO: Márcio (Rafael, 25'/2ºT); Rafael Cruz, Anderson, Gilson, Thiago Feltri; Marino, Bida (Joilson, 45'/2ºT), Pituca e Vitor Junior; Felipe e Anselmo (Ernandes, 42'/2ºT)
T: Hélio dos Anjos


São Paulo: Rogério Ceni; Piris (Jean, 38'/2ºT), Xandão, Rhodolfo e Carlinhos; Wellington, Denilson, Cícero (Rivaldo, 12'/2ºT) e Lucas; Dagoberto (Marlos, 25'/2ºT) e Luis Fabiano
T: Adilson Batista


Postado por Éder Moura



Nenhum comentário:

Postar um comentário